A manutenção do Hospital Covid prova que falhamos no combate à pandemia

por Bernardo Fellipe Seixas

Ourinhos passa vergonha em ações realizadas para enfrentar a pandemia

Ourinhos vive uma situação de incoerências e contradições. Se, por um lado, a população está temerosa e assustada com as notícias sobre mortes e sucessivas desativações de leitos de UTI pela Santa Casa em plena pandemia, por outro lado o prefeito Lucas Pocay (PSD) se vangloria do “seu” Hospital de Campanha já ter feito mais de 2 mil atendimentos para contaminados pelo vírus.

Nesta semana, usando seu secretário de saúde Donay Filho como porta-voz, Pocay criticou o governo do Estado por não enviar recursos para ajudar a custear o Hospital de Campanha. Há duas semanas ele tem ameaçado fechar a unidade por falta de dinheiro para sua manutenção. O valor reivindicado do governo estadual é de R$7 milhões.

Vamos raciocinar: Se a cidade fosse mesmo referência no enfrentamento à Covid como diz reiteradamente o prefeito, o melhor seria que o número de contaminados diminuísse com medidas preventivas, desafogando os hospitais, e não que ele se orgulhasse do número de doentes atendidos.

O Boletim Covid divulgado diariamente não deixa dúvidas: Somamos 13.802 ourinhenses contaminados pelo coronavírus, 368 mortos, e esse número só aumenta. E o que tem feito o prefeito para diminuir essa triste informação que recebemos todos os dias? Adotou medidas restritivas? Ofereceu amparo aos comerciantes e empresários? Investiu em campanhas educativas? Reforçou a fiscalização e punição para quem participa ou incentiva aglomerações? Restringiu de alguma forma as possibilidades de aglomeração? A resposta é negativa, e enquanto os números só aumentam, o prefeito, orgulhoso, continua divulgando que o Hospital Covid atende em média 100 pessoas por dia.

Imunidade de rebanho? Ao não implementar medidas mais rigorosas e efetivas para o enfrentamento da pandemia, Pocay age como o presidente Jair Bolsonaro

A realidade é que uma parcela expressiva da população não colabora, não adotando as medidas simples que evitam a contaminação, como evitar aglomerações, usar máscara e higienizar as mãos constantemente. Porém, culpar as pessoas não resolve o problema, é preciso informação de maneira intensa, campanhas efetivas utilizando todas as mídias. E punição para os faltosos, porque é assim que funciona no mundo todo.

O raciocínio é matemático: Se não temos leitos de UTI, se faltam recursos para custear o Hospital Covid, se o mercado não oferece insumos e medicamentos para aquisição como é necessário, é preciso colocar em prática ações que visem diminuir o número de pessoas contaminadas.

Se Ourinhos fosse mesmo referência no combate à Covid, o número elevado de atendidos no Hospital de Campanha seria motivo de vergonha e não assunto para se vangloriar em redes sociais.

Anuncie no Biz (14)99888-6911

CONTINUE SEMPRE BEM INFORMADO! Envie a mensagem “Quero notícias do Jornal Biz + seu nome” do seu WhatsApp para (14)99888-6911 e receba em primeira mão as notícias de Ourinhos e região.

CURTA O JORNAL BIZ NO FACEBOOK
Instagram @JornalBiz
Twitter @jornal_biz