Em “balanço de fim de ano”, presidente da Câmara sequer menciona fiscalização do Poder Executivo

Alexandre Enfermeiro, presidente da Câmara Municipal de Ourinhos. | Imagem: captura de tela TV Câmara

O presidente do Poder Legislativo ourinhense, Alexandre Enfermeiro (PSD), divulgou no último dia 20, release para a imprensa onde “faz um balanço positivo do trabalho realizado na Câmara em 2019”. Ele diz que o trabalho foi realizado “em três grandes frentes: qualificação dos servidores, melhoria na estrutura física e regulamentação de Leis”. A fiscalização dos atos da Prefeitura, função elementar do Legislativo, sequer foi mencionada na entrevista.

___continua após publicidade___

Anuncie no Biz a partir de R$199,00 por mês | (14)99888-6911

Enfermeiro ressaltou o incentivo a qualificação dos servidores, obras na parte elétrica e cozinha, e a aquisição de novos computadores e automóveis. Disse que em 2020 o prédio da Secretaria da Câmara será ampliado, e um novo estúdio de TV será construído.

O vereador informou também que, como acontece todos os anos, o Legislativo devolveu recursos para o Executivo. “Conseguimos devolver um pouco mais de R$ 1 milhão do duodécimo para a Prefeitura”. Ano após ano a Câmara prova que é incapaz de desenvolver, sozinha, projetos independentes e de interesse para a população: sobra dinheiro, faltam ideias.

O relacionamento com os vereadores, a transparência com os gastos, o envolvimento com a comunidade, o compromisso com a fiscalização dos atos da Prefeitura… nada disso foi mencionado pelo presidente.

Os vereadores da atual legislatura tem como marca a fidelidade ao prefeito Lucas Pocay, que é do mesmo partido do presidente da Câmara. Os interesses da Prefeitura são defendidos cegamente. A Câmara se vale de todas as artimanhas, às vezes até ferindo normas regimentais e prazos, ocultando proposições da imprensa e desrespeitando os direitos de parlamentares. De oposição, claro.

___continua após publicidade___

Diante de faltas tão graves, analisar a Pauta das sessões e a qualidade das proposituras chega a ser covardia.

Quando o assunto são as CPI’s, em 2019 a Câmara Municipal de Ourinhos cumpriu bem seu papel de pizzaria. A Comissão criada para investigar denúncias de corrupção entre uma Cooperativa e a Secretaria de Cultura foi uma piada. Não apresentou nenhum resultado prático e isentou completamente a Prefeitura do “esquema”, que movimentou milhares de reais. A investigação do Ministério Público, quando vir à tona, vai comprovar a omissão dos parlamentares.

Quando a falta de água em Ourinhos atingia níveis críticos, a Câmara criou a CPI da SAE. Em 150 dias os vereadores ouviram duas pessoas e não concluíram nada. O resultado foi um tapa na cara da população, que nas redes sociais questionava a razão da falta d´água em Ourinhos e exigia uma resposta. Caio Lima, Raquel Spada, Sargento Sérgio, Cido do Sindicato, Santiago, Carlinhos do Sindicato, Abel Fiel, Anísio Felicetti e Ari da Auto Escola “passaram pano” para o problema e colocaram ponto final no assunto, sem resposta alguma. Só os vereadores Dr. Salim, Vadinho, Alexandre Zóio, Flavinho e Cícero Investigador votaram contra o relatório oco.

No release distribuído para a imprensa, Alexandre Enfermeiro diz que seu sentimento é de “dever cumprido”. A gente entende, presidente.

Anuncie no Jornal Biz (14)99888-6911

QUER FICAR BEM INFORMADO? Envie a mensagem “Quero notícias do Jornal Biz + (seu nome)” do seu WhatsApp para (14)99888-6911 e receba em primeira mão as notícias de Ourinhos e região.

CURTA O JORNAL BIZ NO FACEBOOK
Instagram @JornalBiz
Twitter @jornal_biz