A arte de fazer bolo de canela

0
152

por Neusa Fleury

Ela parece ter um milhão de ex-alunos. É só falar o nome de alguém e a Therezinha já informa: “Foi meu aluno”, recordando os anos dedicados à educação. E todos se lembram daquela professora de artes que via beleza naquilo que, muitas vezes, nem era percebido pela maioria.

Embora esteja antenada com tudo o que acontece pelo mundo, não se amargura com a dureza do cotidiano: seus olhos tem uma lente de aumento para a beleza. E não enxerga aquela boniteza previsível, que todo mundo vê, mas sim a que está presente na flor que seca, na parede que racha, nas ranhuras da madeira, na teia que a aranha fabrica, numa cor desbotada qualquer. Por falar em cor, o roxo é a sua preferida, e figura como tema em várias de suas pinturas. Lembrando os versos do poeta Manoel de Barros, seu olhar parece se voltar mais para as “insignificâncias” da vida.

A arte de Therezinha Márcia

Therezinha tem bicho carpinteiro criativo, o que a levou a experimentar de tudo na pintura: aquarela, óleo sobre tela, colagens e outras tantas técnicas – e os temas também são variados. Faz retratos, mistura técnicas e cria representando um imaginário fantástico onde a figura feminina se revela, misteriosa. Adora artesanato, faz bijouterias, borda, pinta em tecido, faz crochê, tricô, costura, escreve poesias, fotografa, e sabe fazer um bolo de canela como ninguém.

A arte de Therezinha Márcia

Já fui algumas vezes a Curitiba, mas prefiro a cidade que a minha amiga conta, onde só existe beleza. Foi lá que ela fez o curso superior, na Faculdade de Belas Artes. Quando fala da cidade, se entusiasma, a paixão transborda, volta ser a estudante de artes Therezinha Márcia de Oliveira Leite passeando pela Boca Maldita e bosques curitibanos. Não é à toa que os pinheiros do Paraná e as hortênsias aparecem como temas de seus trabalhos.

Cultiva amizades e amores com a mesma lealdade. Tem consciência que a arte eleva a vida para muito além de uma suportável existência, tornando-a mais sublime e intensa. Sabedoria que a faz manter por perto obras de artistas da música, da literatura, pintura, escultura e tantas outras formas artísticas.

Talvez o segredo de ter conseguido manter o encantamento pela vida seja porque a fantasia e a criatividade continuem sendo ingredientes importantes em tudo o que faz. O tempo passou, e a Therê conserva o melhor do tempo da adolescência, que sorte a dela!

A Therezinha tem ascendência ilustre. Teve uma avó austríaca. Eu bem que desconfiava, percebendo sua nobreza de caráter.

 Texto original publicado pelo Tertuliana, parceiro do Jornal Biz.

Curta o Jornal Biz no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here